Estou isolado em casa, e agora?

Por Roberta Camboim – Psicóloga CRP 17/1261

Esta é uma situação que muitos de nós temos enfrentamos nos últimos dias, saiba que você não está sozinho. Tenho pensado muito e com muitas preocupações tanto relativas a minha saúde física, mental e financeira, afinal não sabemos como ficará o cenário após essa paralisação tão brusca de tantas áreas do setor produtivo, por esta razão quis compartilhar com vocês algumas estratégias que venho utilizando para lidar com este momento.

Ficar em casa em tempos de Pandemia da COVID-19 pode ser um desafio. Com isso pensamos em compartilhar algumas estratégias que podem ajudá-lo (a) a passar por este momento turbulento de forma mais tranquila, dentro do possível.

Nossa tentativa não é amenizar ou dizer que simplesmente vai ficar tudo bem. Não sabemos o que vai acontecer e esse cenário de incertezas muitas vezes é um gatilho para nossa ansiedade. 

Além de tudo, isso que estamos passando é novo. Vocês já pararam para pensar quantas vezes ficamos extremamente ansiosos quando nos deparamos com situações novas? Isto tem haver com estar vulnerável. A maioria das pessoas evita isso a todo custo. Mas estar vulnerável nos faz humanos, faz parte deste momento sentir, todas as emoções são válidas. Tudo bem se você estiver mal, se não estiver lidando com isso da melhor forma possível, não existe ainda um manual de etiqueta sobre como se comportar frente uma pandemia, não existe uma receita que serve a todos. Todos teremos desafios, cada um de sua forma o mais importante neste momento é que possamos abrir espaço para essas emoções e ver isso como uma oportunidade de se conectar consigo mesmo. 

Quantas vezes realmente paramos para refletir sobre o que queremos, sobre quem somos, sobre o que sentimos. Esta pode ser uma boa oportunidade para buscar essa conexão.

Além de reconhecer e abrir espaço para as emoções, até as mais desagradáveis, vamos dar algumas sugestões de atividades que vocês podem testar e ver se funciona para você e sua família. E esperamos que vocês possam compartilhar conosco o que tem feito, o que tem ajudado assim podemos nos conectar e ajudar um ao outro ainda mais.Para as pessoas que estão em isolamento em casa separamos algumas estratégias que podem ajudar neste momento:

  1. Programar atividades diárias:  fazer uma lista de coisas a fazer no dia estabelecendo horários de acordar e dormir, de higiene pessoal, refeições, atividades domésticas. Está trabalhando de casa? então troque de roupa se prepare como se fosse sair para trabalhar, esses marcadores são importantes para mantermos as coisas em ordem, mesmo quando tudo parece estar desmoronando ou as coisas podem parecer sem sentido. Já passamos por outras crises na humanidade e conseguimos sair delas, vemos os dados relacionados a China neste momento caiu o número de novas pessoas infectadas, e a rotina já está voltando a ser restabelecida. Isso é um bom sinal, pode ser que em breve chegue a nossa vez. E as consequências em relação a tudo isso, saberemos a cada dia.
  2. Viva o momento presente:   ainda que pareça difícil e que várias atividades que gostamos de fazer não sejam possíveis, devido ao isolamento, se permita sentir todas as emoções, esteja aberto, ainda que possa parecer desagradável. Este momento de crise pode nos ajudar a refletir questões mais existenciais e nos fazer florescer ainda mais. Se permita viver no aqui e agora, não precisamos que tudo passe para que possamos viver, podemos aprender a viver com esta nova adversidade.
  3. Pratique atividade física: busque canais no Youtube, lives no instagram oferecidas muitas vezes gratuitamente por profissionais da área da educação física, é muito importante nos mantermos ativos neste momento, ainda que seja um desafio. Compartilhe com seus amigos e familiares e combinem de fazer atividades juntos, ainda que a distância, isso pode ajudá-lo a iniciar a prática em casa. Coloque pequenas metas de alguns minutos diários e faça o que for possível para você com orientação de profissional da área. A atividade física comprovadamente tem um efeito positivo sobre as substâncias que são responsáveis por produzir bem-estar em nosso corpo.
  4.  Faça uma lista de livros, filmes, vídeos e seriados : Esta pode ser uma oportunidade para colocar em dia as leituras e filmes  que deseja ver. Programe para ver ou ler ao longo da semana, aos poucos.
  5. Vídeo chamada com amigos e familiares: Faça uma lista de amigos e familiares, mesmo que já não tenha contato há algum tempo para fazer contato por vídeo chamada, uma chamada em grupo pelo whatsapp ou outros aplicativos podem ser revigorantes ao longo do dia. Não precisamos nos manter isolados, apenas distante fisicamente. Atualmente a tecnologia nos permite estar cada vez mais próximos das pessoas.
  6.  Ajude alguém que está com dificuldades de passar por este momento: é curioso mas normalmente nos sentimos muito bem quando ajudamos o próximo, os efeitos são até melhores do que atividades de lazer por exemplo.
  7. Controle seu acesso a notícias:  é importante nos mantermos informados, mas para estar bem informado não precisamos ficar o dia inteiro vendo TV, redes sociais e outros canais da mídia falando sobre o assunto, podemos estabelecer alguns horários do dia para nos informarmos brevemente sobre as atualizações e novas recomendações locais sobre prevenção e funcionamento de serviços. Escolha uma ou duas fontes confiáveis e separe um momento do dia para se informar, seja ativo nessa busca de informação.
  8. Sejamos esperançosos: embora não tenhamos como saber como tudo isso vai acabar e qual serão as consequências podemos nos manter atentos às coisas que controlamos e observar o que não controlamos, fazer isso pode nos ajudar a ter ações mais produtivas dentro deste cenário e manter a esperança de que dias melhores virão em breve.

Esperamos que em breve toda esta turbulência passe e que nós juntos possamos nos ajudar a lidar com as consequências que estão por vir. Sejamos empáticos e neste momento, se puder fique em casa, se precisar conte conosco.

Para superar a procrastinação tenha em mente esses três passos.

  • Qual o meu objetivo? Perder peso.

  • O que eu tenho que fazer para conseguir isso? Atividade física e ingerir menos calorias.

  • Eu estou disposto a fazer isso?  e não ” eu quero fazer isso?” Você está disposto a fazer o que é desconfortável?

Coloque objetivos simples e acompanhe o que você faz, se pergunte se está tolerando o desconforto.
Pense no desconforto como uma ferramenta para se tornar mais FORTE.  Lembre-se de se recompensar por isso!

Posts recentes

Categorias

Quer ficar por dentro do que acontece no Camboim & Petrucci?

Para receber as novidades sobre a TCC e  nossos cursos, workshops e eventos, é só preencher seus dados abaixo.